Instituição Religiosa-Igreja Católica-Paróquia São José Operário Tel.4582-5091- Retiro Jundiaí

Acesse nossa página no Facebook

Acesse nossa página no Facebook:





Compromisso de todo Cristão

Compromisso de todo Cristão
Compromisso de todo Cristão

Ano Nacional Mariano

Ano Nacional Mariano
Ano Nacional Mariano

sábado, 12 de junho de 2010

Chegou mais uma Copa Mundial de Futebol!



O esporte a serviço da paz e da união entre os povos.

Prezados irmãos e irmãs da Igreja de Deus que se faz presente na Diocese de Jundiaí:
De quatro em quatro anos, seleções de futebol de diversos países do mundo se reúnem para disputar a Copa Mundial de Futebol. A competição foi criada pelo frânces Jules Rimet (1873-1956) em 1928 e a primeira edição da Copa Mundial de Futebol foi realizada no Uruguai em 1930. Portanto, a Copa do Mundo deste ano (11 de junho a 11 de julho, na África do Sul) será a 19ª edição. Como sabemos, o Brasil sagrou-se campeão cinco vezes (1958, 1962, 1970, 1994 e 2002). De quatro em quatro anos, é bonito ver como todos os brasileiros se tornam uma só família, torcendo juntos pela nossa seleção.
O esporte pode tornar-se uma ótima oportunidade de evangelização e do empenho cristão na construção de um mundo mais unido e fraterno. De fato, no esporte está presente a ideia do desenvolvimento harmonioso do ser humano. O esporte destaca a importância do exercício corporal e do esforço visando a uma constante superação. Com quanta potencialidade Deus dotou o corpo humano! Quanta perfeição ele pode alcançar mediante o exercício do esporte! Como nos lembra o Salmista que, contemplando a glória de Deus e a grandeza do ser humano, exclama: “Que coisa é o ser humano, para dele te lembrares... No entanto o fizestes só um pouco menor que um deus, de glória e de honra o coroaste” (Sl 8,5-6).
Esta grandeza do ser humano e sua força em conseguir superar metas e obstáculos lembram o lema dos Jogos Olímpicos, propostos por Pierre de Coubertin (1863-1937): “Citius, altius, fortius”, ou seja: “Mais rápido, mais alto, mais forte”. Deste modo, mediante o esporte, a pessoa humana desenvolve a própria criatividade e os seus dons, supera desafios pessoais, aprende a disciplina e o sentido do sacrifício e passa a respeitar as regras dos jogos de esporte. Praticado não como um fim em si mesmo, mas como um meio, qualquer esporte torna-se instrumento preciso para a formação perfeita e equilibrada de toda a pessoa. O próprio São Paulo compara o crescimento da vida cristã ao esporte que o atleta pratica: “Acaso não sabeis que, no estádio, todos correm, mas um só ganha o prêmio? Correi de tal maneira que conquisteis o prêmio. Todo atleta se impõe todo tipo de disciplina... Por isso, eu corro, não como às tontas. Eu luto, não como quem golpeia o ar” (1Cor 9,24-26; cf. Fl 3,12; 2Tm 4,7).
Quando o exercício físico não é realizado de forma isolada, mas em competições ou campeonatos − como é o caso de futebol −, entra no esporte um outro aspecto importante: o sentido da festa e espetáculo. Todos participam da disputa e do jogo coletivo de forma que, por mais empenho que se faça, sempre se trata de algo cuja finalidade última é o próprio jogo, a diversão. Além disto, os jogos coletivos, quando disputados entre as nações, aproximam os povos, promovem o diálogo entre as culturas, fortalecem a paz, o sentido de pertença e o respeito mútuo pelo outro.
Portanto, não se deve transformar o esporte em algo obsessivo, em detrimento de outras funções do ser humano. Deve-se evitar o excesso de paixão por equipes ou clubes, bem como o endeusamento dos atletas, que se tornam “estrelas”. Nessa tendência se manifesta um dos desvios da sociedade de consumo, que cria necessidades esportivas fictícias e estrelas que a satisfaçam, muitas vezes com a cumplicidade dos meios de comunicação. Embora o esporte como espetáculo − como é o futebol, o esporte mais popular − tenha sempre uma função de divertimento e relaxamento das tensões cotidianas, deve-se evitar que ele leve a manifestações brutais e agressivas quando a derrota surge em lugar da esperada vitória.
Por fim, queridos diocesanos, lembro-lhes as palavras do Papa Bento XVI que chamou os atletas de “modelos” para suas gerações, principalmente para as mais novas que necessitam de modelos de vida a quem seguir: “Sejam campeões no esporte e na vida!”. Pois o esporte “pode favorecer a afirmação nos jovens de valores importantes como a lealdade, a perseverança, a amizade, a partilha e a solidariedade.. Por conseguinte, transmitir mensagens positivas através do esporte contribui para construir um mundo mais fraterno e solidário” (Audiência – 01.08.2009).
Amigos, então vamos torcer com entusiasmo e ardor pela nossa seleção. Mas que ganhe o melhor! E que esses dias da Copa Mundial de Futebol sejam dias de alegria pelas vitórias conquistadas. Mas, sobretudo, sejam conquistas rumo a ideais cada vez mais incomparáveis, pois “buscamos uma coroa incorruptível” (1Cor 9,25) que nunca nos será tirada!
Dom Vicente Costa
Bispo Diocesano de Jundiaí
 
"PASCOM"

Nenhum comentário:

Postar um comentário