Instituição Religiosa-Igreja Católica-Paróquia São José Operário Tel.4582-5091- Retiro Jundiaí

Acesse nossa página no Facebook

Acesse nossa página no Facebook:





Compromisso de todo Cristão

Compromisso de todo Cristão
Compromisso de todo Cristão

Ano Nacional Mariano

Ano Nacional Mariano
Ano Nacional Mariano

sábado, 17 de janeiro de 2015

Uma abordagem sobre o 2º Domingo do Tempo Comum (18 de janeiro / 2015)

De repente, Jesus aparece no Evangelho de hoje e nos faz uma pergunta: “O que vocês estão procurando?” (Jo 1,38). Essa pergunta pode se desdobrar em várias outras: O que você procura? Aonde você quer ir com a sua vida? O que é que realmente queremos? Vale a pena fazer o que estamos fazendo? Nosso caminhar está nos conduzindo efetivamente a algum lugar? A pergunta de Jesus nos obriga a sair do piloto automático e a entender que a direção da nossa vida não está predeterminada, mas ela depende exatamente do que nós estamos procurando. O que eu procuro orienta a direção que dou à minha vida. Se eu não busco nada, não chego a lugar nenhum.Santo Agostinho dizia: “Senhor, o nosso coração foi feito para vós, e só achará descanso em vós”. Isso significa que se a direção que temos dado à nossa vida não estiver nos levando para Deus, estamos correndo o risco de falhar em nossa existência, de trair a nossa vocação e de nos afastar da nossa verdade mais profunda. Sim. Talvez você se pergunte: “Mas, qual é a minha vocação?” Você descobre qual é a sua verdadeira vocação quando aquilo que você faz te realiza de tal forma que você reconhece: “Eu nasci para isso! Eu vim ao mundo para isso! É aqui que está a minha verdade, a minha essência como pessoa!” Diante da pergunta de Jesus, os discípulos responderam: “Mestre, onde moras?” (Jo 1,38). Querer saber onde Jesus mora significa não se contentar em escutar o que os outros dizem d’Ele, mas em querer ter uma experiência pessoal de encontro com Ele. Aqueles discípulos quiseram ficar com Jesus porque sentiram que Ele podia lhes ensinar algo que ainda não conheciam; eles sabiam que Jesus poderia ajudá-los a viver a vida de uma maneira mais profunda, uma vida que enchesse o coração deles de sentido.Todos nós preferimos respostas, não perguntas. No entanto, são as perguntas que nos fazem caminhar; são elas que nos desacomodam e nos tiram da nossa zona de conforto; são elas que podem trazer a cura para a nossa doença e libertação para aquilo que nos aprisiona. O que você tem procurado com a sua vida? O que você procura com a forma como lida com seu corpo, com sua afetividade e com sua sexualidade? (ver 2ª. leitura). O que você procura quando bebe, quando se droga, quando trai? O que você procura no consumismo, no exibicionismo, no narcisismo, naquilo que você posta no seuFace? O que você procura quando vai – ou deixar de ir – a uma igreja? O que você procura entre os seus contatos no watts zap?  Não tenha medo de ficar diante dessa pergunta. Não tenha medo de permitir que ela permaneça dentro de você: “O que eu estou procurando?” Mas também não tenha medo de saber onde Jesus mora. Não se surpreenda se você descobrir que Ele mora nas pessoas e nas situações às quais você vive evitando e pagando para não se confrontar. Não se surpreenda se descobrir que Jesus mora naquele lugar dentro de você onde você detesta ir, aquele lugar do qual você vive fugindo, porque te parece assustador e ameaçador. Quanto mais você se aproximar do lugar onde Jesus mora dentro de você e mais tiver a coragem de permanecer ali, maior será a sua chance de cura e de libertação.
baseado nos escritos do Pe. Paulo Cezar Mazzi


Nenhum comentário:

Postar um comentário