Instituição Religiosa-Igreja Católica-Paróquia São José Operário Tel.4582-5091- Retiro Jundiaí

Acesse nossa página no Facebook

Acesse nossa página no Facebook:





Compromisso de todo Cristão

Compromisso de todo Cristão
Compromisso de todo Cristão

Somos todos operários da messe!

Somos todos operários da messe!
Somos todos operários da messe!

domingo, 18 de junho de 2017

A importância e responsabilidade dos pais na transmissão da fé





Por ocasião da 1ª Eucaristia hoje na comunidade Cristo
Rei Padre Daniel em sua homilia falou diretamente aos pais sobre a importância
da participação ativa na vida da Comunidade. Muitas vezes, "são os filhos
que levam o pai para Igreja"
Os pais devem ser os primeiros catequistas dos filhos.
São eles os principais responsáveis pela transmissão da fé aos filhos.
É importante que todos saibam o valor e a importância de
cuidar também da vida espiritual da vida dessas crianças e adolescentes que
nasceram para serem um dia cidadãos do céu.
Será que temos preocupado com a nossa vida espiritual e a
vida espiritual de nossos filhos?


Assista a mensagem que o Prof. Felipe Aquino tem a dizer
neste vídeo:

32ª Semana do Migrante

Semana propõe uma perspectiva de mudança de mentalidade e comportamento. "Queremos celebrar a vida que teimosamente não se deixa matar e nem aceita ser destruída por nenhuma força que se proclama dona de sua existência".

De 18 a 25 de junho, a Igreja no Brasil celebra a 32ª Semana do Migrante, com o tema: “Migração, biomas e bem viver”. O objetivo da semana, segundo o bispo referencial da Pastoral dos Refugiados, dom José Luiz Ferreira Salles, é  anunciar, denunciar, refletir e construir uma nova relação do ser humano com a Mãe Terra.
A semana, inspirada pelo lema da Campanha da Fraternidade deste ano, propõe uma perspectiva de mudança de mentalidade e comportamento. “Queremos celebrar a vida que teimosamente não se deixa matar e nem aceita ser destruída por nenhuma força que se proclama dona de sua existência, porque acredita que o Deus Criador já venceu e já declarou sua vitória sobre a morte, o pecado e o mal”, disse o bispo.

A 32ª Semana do Migrante é articulada pelo Serviço Pastoral do Migrante (SPM), vinculado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), sempre fazendo uma relação com as campanhas da fraternidade em curso. O SPM elaborou vários materiais (texto base, roteiro de celebração, círculos bíblicos, entre outros) para subsidiar as comunidades e paróquias no aprofundamento da temática dos migrantes.
Fonte: CNBB

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Novos Acólitos,Ministros e Ostiárias para nossas comunidades


Hoje em nossa paróquia, nesta festa do Corpo e Sangue de Cristo, tivemos um momento muito significativo.
Uma palavra se faz necessária a todos os constituídos em dignidade para assumirem o ministério da Sagrada Comunhão, junto com as guardiãs do Sagrado as Ostiárias (os) e também novos pequenos acólitos.
Ainda sobre o frescor de Pentecostes celebrado há duas semanas refletimos aqui rapidamente sobre a ação do Espírito Santo na Igreja na pessoa dos ministros e agentes de liturgia.
Sempre ouvimos dizer que o Espírito santo nos é dado em vista de uma “missão” na Igreja e também onde possamos nos encontrar.
Não nos é dado para satisfazer caprichos pessoais.
Tem um sentido pleno de continuação, ou seja, somos continuadores da missão de Cristo e por isso, somos necessitamos deste Espírito Santo e do alimento forte que nos vem através da Eucaristia.
Jesus ao instituir a Eucaristia tem em vista, a continuação de sua missão. Mas o pão que Deus enviou do céu também significou correção, educação, disciplina para o povo de Israel. Assim, nós entendemos que Deus se coloca junto a nós não somente como Pai que provê nossas necessidades, mas como Pai que também nos educa, para compreendermos que “nem só de pão vive o homem” (Dt 8,3), ou seja, nós não vivemos somente daquilo que produzimos, daquilo que nossa força, nossa inteligência e nosso dinheiro podem nos dar; nós vivemos, sobretudo, da obediência à voz de Deus
em nossa consciência. Tomar consciência de que nós não vivemos somente daquilo comemos ou consumimos significa cuidar também da nossa alma, do nosso espírito; significa ainda ouvir a fome e a sede que tantas pessoas à nossa volta têm de justiça, de oportunidade, de respeito e de paz.
Um simples pedaço de pão nos lembra algo muito importante: nenhum ser humano é auto-sustentável; todos nós somos sustentados fisicamente pelo pão/alimento que comemos, o que significa que, sem o sustento que vem do alimento, nós desfalecemos, adoecemos e morremos. Mas o alimento não é apenas um sustento para a sobrevivência; a Sagrada Escritura
também nos fala dele como algo sem o qual nós não conseguimos atingir a meta da nossa vida. Foi assim, por exemplo, com o profeta Elias, quando o anjo do Senhor lhe disse: “Levanta-te e come, pois o caminho que tens a percorrer está acima das tuas forças” (1Rs 19,7).Portanto, animo e coragem a todos!



Corpus Christi:Devoção popular e a Procissão

Nos ambientes urbanos, apesar das dificuldades estruturais, as comunidades continuam expressando sua fé Eucarística

Na quinta-feira, após a solenidade da Santíssima Trindade, a Igreja celebra devotamente a solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, festa comumente chamada de Corpus Christi.
A motivação litúrgica para tal festa é o louvor merecido à Eucaristia, fonte de vida da Igreja. Desde o princípio de sua história, a Igreja devota à Eucaristia um zelo especial, pois reconhece neste sinal sacramental o próprio Jesus, que continua presente, vivo e atuante em meio às comunidades cristãs.
Celebrar Corpus Christi significa fazer memória solene da entrega que Jesus fez de sua própria carne e sangue, para a vida da Igreja, e comprometer-nos com a missão de levar esta Boa Nova para todas as pessoas.
É necessário destacar que muito mais do que uma festa litúrgica, a Solenidade de Corpus Christi assume um caráter devocional popular. O momento ápice da festa é certamente a procissão pelas ruas da cidade, momento em que os fiéis podem pedir as bênçãos de Jesus Eucarístico para sua cidade. O costume de enfeitar as ruas com tapetes de serragem, flores e outros materiais, formando um mosaico multicor, ainda é muito comum em vários lugares.
Algumas cidades tornam-se atração turística neste dia, devido à beleza e expressividade de seus tapetes. Ainda é possível encontrar cristãos que enfeitam suas casas com altares ornamentados para saudar o Santíssimo, que passa por aquela rua.
A procissão de Corpus Christi conheceu seu apogeu no período barroco. O estilo da procissão adotado no Brasil veio de Portugal, e carrega um modo popular muito característico.

Geralmente a festa termina com uma concentração em algum ambiente público, onde é dada a solene bênção do Santíssimo Sacramento. Nos ambientes urbanos, apesar das dificuldades estruturais, as comunidades continuam expressando sua fé Eucarística, adaptando ao contexto urbano a visibilidade pública da Eucaristia.

Celebrando Santo Antonio

"A palavra é viva quando são as obras que falam" (Sto. Antonio)

Com grande alegria e devoção, celebramos nesta terça,13/06 a vida de um grande Santo.
Santo Antônio nasceu em Lisboa em 1195 e morreu na cidade de Pádua, Itália, em 1231, cognominado por Santo Antônio de Lisboa ou de Pádua. No batismo recebeu o nome de Fernando. Mas, ao ingressar bem jovem na vida religiosa, trocou de nome, passando a se chamar Antônio. Depois de uma intensa e ardorosa vida marcada pela ascese, junto aos agostinianos de Coimbra, escolheu ser discípulo de São Francisco de Assis, que com este se encontrou na Porciúncula em 1221.
Santo Antônio foi uma grande figura humana de coração, exemplo e referencial para os cristãos. Brilhante foi sua inteligência e exímio conhecedor do Livro Sagrado, destacando-se, igualmente, pela profecia, sem esquecer sua caridade com os pobres e necessitados. O ideal cristão do referido santo consistiu em colocar sua vida e sua segurança nos valores eternos, convencendo-se de que eles jamais passarão. Tornou-se universalmente conhecido e venerado pelo povo cristão, em toda a extensão da terra.
Que saibamos olhar para Santo Antônio como pai e protetor, amigo do menino Jesus e filho querido de Maria Imaculada, que, ao anunciar o Evangelho de Jesus, procurou duas coisas: a glória de Deus e o bem da criatura humana. Ao oferecer pão aos necessitados, suplicava para que nunca faltasse o pão de cada dia, pelo honesto trabalho, dando prioridade à busca do pão vivo, descido céu, que é o próprio Jesus Cristo encarnado na história da humanidade, alimento para a vida do mundo. A partir da vida de Deus na eucaristia, aqueles que ao amigo do Menino Jesus recorram e implorem sua proteção, que jamais deixem de ser escutados.
O legado de Santo Antônio é por demais abrangente, na implacável defesa da família, ajudando-a a se encontrar com Deus, no sentido de melhor cumprir sua missão, resistindo aos perigos e ciladas do inimigo, num mundo tão diverso e contraditório. Na oração dos namorados, na preciosa e pulsante fase da existência das pessoas, vemos Santo Antônio constantemente invocado como protetor, no sentido de que as coisas fiquem sempre claras. Que as pessoas que alimentam o sonho da vida conjugal, pelos méritos de Santo Antônio, saibam aproveitar e sorver do precioso tempo que precede o matrimônio. Pela luz divina, cheguem ao conhecimento um do outro, segundo o projeto do nosso bom Deus

Sacramento do Crisma:Presença de Dom Vicente anima paroquianos

Por ocasião do Sacramento do Crisma que foi conferido aos 78 jovens, neste último sábado em nossa Paróquia. A presença de nosso Bispo Diocesano Dom Vicente Costa é sempre um momento aguardado pelos fiéis. Pena que nossa Igreja Matriz neste dia se torna pequena diante de tenta gente.
A finalidade dos Sacramentos é para tornarmos um sinal de testemunho de vida; é para identificar-nos cada vez mais com Cristo. Não é para só sentirmos bem, pagar ou cumprir promessa.Com alegria,neste dia foram conferidos o sacramento da Eucaristia para alguns adultos da comunidade. Momento sempre muito marcante na vida da Igreja.
Para melhor compreendermos o sentido do Sacramento do Crisma, devemos perguntar-nos qual a função do Espírito Santo na Economia da salvação (plano de Deus) manifestada na História da Salvação.

Olhando para a Bílbia, descobrimos que o Espírito Santo tem uma dupla função:
1) O de dar a vida.
2) E a função de levar a vida até sua perfeição.

Essas são duas funções diferentes.

Pelo Batismo, o Espírito Santo nos concede a vida e pelo Crisma nos dá os seus dons para chegarmos a perfeição.

A Confirmação nos dá, pois, o Espírito Santo para levarmos até a perfeição o que recebemos no Batismo. Chegar a perfeição, segundo a vontade do Pai.
"Sede Santos, como vosso Pai do céu é Santo."

No entanto, a nossa primeira vocação é sermos santos. A maturidade da fé não se faz de um dia para o outro. Ela tem início na família, contínua na comunidade e acompanha a pessoa por toda a vida.
 Por fim , um olhar especial aos nosso catequistas.
Nestes últimos anos tem-se falado em Catequese Renovada e muitos pontos positivos contribuíram para que ela assim fosse chamada. Percebemos que algumas propostas da Catequese Renovada estão muito visíveis: o uso da Palavra de Deus, a importância de ligar a fé com a vida, perceber e respeitar as situações dos catequizandos tais (interesses, jeito de viver, idade, cultura...), a preocupação em fazer uma catequese mais comprometida com a comunidade, envolvimento da família, o uso de uma metodologia mais criativa, dinâmica...
Estamos indo no caminho certo! Parabéns!

Comunicação SJO