Instituição Religiosa-Igreja Católica-Paróquia São José Operário Tel.4582-5091- Retiro Jundiaí

ADVENTO: "Vem Senhor Jesus!

ADVENTO: "Vem Senhor Jesus!
Eis a grande proclamação do Natal do Senhor e o centro do Natal do Senhor: o nascimento de Jesus Cristo.

Acesse nossa página no Facebook

Acesse nossa página no Facebook

sábado, 20 de dezembro de 2014

Pastoral da Criança faz a alegria da criançada!

Tivemos nesta sexta-feira (19) na comunidade São Gabriel a animada festa promovida pela Pastoral da Criança.
O trabalho de ação voluntária de nossos agentes da Pastoral da Criança de nossa Paróquia São José Operário vem ao longo de muitos anos desempenhando importante trabalho em nossas comunidades. Nesta oportunidade, ressaltamos o trabalho de animação com as crianças neste período do Natal. O evento contou com a presença do Papai Noel (José Evangelista) que realizou a entrega dos  presentes as crianças.

Fundada em 1983, na cidade de Florestópolis, Paraná, pela médica sanitarista e pediatra, Dr.Zilda Arns Neumann  e pelo então Arcebispo de Londrina, hoje cardeal emérito, Dom Geraldo Majella Agnelo. A Pastoral da Criança hoje se faz presente em todos os estados brasileiros e em outros 21 países da África, Ásia, América Latina e Caribe. A Pastoral da Criança, organismo de ação social da CNBB, alicerça sua atuação na organização da comunidade e na capacitação de líderes voluntários que ali vivem e assumem a tarefa de orientar e acompanhar as famílias vizinhas em ações básicas de saúde, educação, nutrição e cidadania  (Artigo 2º do Estatuto).
tendo como objetivo o "desenvolvimento integral das crianças, promovendo, em função delas, também suas famílias e comunidades, sem distinção de raça, cor, profissão, nacionalidade, sexo, credo religioso ou político"

 

Visita do Papa à Bolívia

Morales confirma visita do Papa à Bolívia

Francisco deve ir ao país sul-americano provavelmente entre setembro e dezembro do ano que vem.

La Paz, 20 dez (SIR/ANSA) - O presidente da Bolívia, Evo Morales, confirmou que o papa Francisco visitará o país no próximo ano, como parte de um giro pela região. Embora Morales não tenha especificado a data da visita papal, o arcebispo de La Paz, dom Edmundo Abastoflor, disse que provavelmente será entre setembro e dezembro.
 
Segundo Abastoflor, uma delegação do Vaticano vai estudar os aspectos logísticos da visita, pois o religioso pode sofrer com a altitude de 3.600 metros de La Paz. Esta será a segunda visita de um Papa à Bolívia. O primeiro foi João Paulo II, em 1988.
 
Viagens
 
Francisco tem planos de realizar oito ou nove viagens pastorais no próximo ano, informaram bispos franceses, falando da visita que ele deve fazer à França, em 2015 ou, mais provavelmente, no início de 2016. Informação foi divulgada jornal católico francês "La Croix".

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Papa Francisco completa 78 anos

 O papa Francisco celebra nesta quarta-feira (17) o seu 78º aniversário que, segundo o pontífice, é um dia “totalmente normal, como os outros”, no qual realiza a tradicional audiência pública das quartas-feiras. Na recente entrevista ao jornal argentino "La Nación", Francisco recordou a celebração deste dia em 2013, no qual três sem-abrigo se juntaram a ele, por iniciativa do esmoler pontifício.
"Foi um bom gesto e aí nasceu o mito de que tinha tomado o pequeno-almoço com os sem-abrigo, mas eu comi com todo o pessoal da casa (de Santa Marta) e os sem-abrigo estavam lá. São dessas coisas folclóricas que me colam", relatou.
Este ano, por ser dia de audiência geral e não haver missa na capela da Casa de Santa Marta, onde reside o papa, o aniversário vai ser assinalado ao almoço, “juntamente com todos os empregados”.
Jorge Mario Bergoglio foi eleito a 13 de março de 2013 como sucessor de Bento XVI, que renunciou ao pontificado, escolhendo o inédito nome de Francisco; é também o primeiro papa jesuíta na história da Igreja e o primeiro pontífice sul-americano.
Francisco nasceu em Buenos Aires, capital da Argentina, a 17 de dezembro de 1936, filho de emigrantes italianos, e trabalhou como técnico químico antes de se decidir pelo sacerdócio, no seio da Companhia de Jesus, licenciando-se em filosofia antes do curso teológico.
Ordenado padre a 13 de dezembro de 1969, Bergoglio foi responsável pela formação dos novos jesuítas e depois provincial dos religiosos na Argentina (1973-1979). João Paulo II nomeou-o bispo auxiliar de Buenos Aires em 1992 e foi ordenado bispo a 27 de junho desse ano, assumindo a liderança da diocese a 28 de fevereiro de 1998, após a morte do cardeal Antonio Quarracino.
O primaz da Argentina foi ordenado cardeal por João Paulo II em 21 de fevereiro de 2001, ano no qual foi relator da 10ª assembleia do Sínodo dos Bispos. Tem como lema 'Miserando atque eligendo', frase que evoca uma passagem do Evangelho segundo São Mateus: "olhou-o com misericórdia e escolheu-o".
Em 21 meses de pontificado, o papa Francisco visitou o Brasil, a Terra Santa, a Coreia do Sul, a Albânia, a Turquia e a cidade francesa de Estrasburgo, onde passou pelo Parlamento Europeu e o Conselho da Europa; realizou também sete viagens em Itália, incluindo uma passagem pela ilha de Lampedusa e uma homenagem no centenário no início da I Guerra Mundial.
Entre os principais documentos do atual pontificado estão a encíclica "Lumen Fidei" (A luz da Fé), que recolhe reflexões de Bento XVI, e a exortação apostólica "Evangelii Gaudium" (A alegria do Evangelho), tendo ainda iniciado um Sínodo sobre a Família, em duas sessões, com consultadas alargadas às comunidades católicas: uma extraordinária realizada em outubro deste ano, e outra ordinária, em 2015.
Francisco criou um Conselho de Cardeais, com membros dos cinco continentes, para o aconselharem no Governo da Igreja e na reforma da ‘Constituição’ do Vaticano, e aprovou legislação para regular a atividade financeira do pequeno Estado e da Santa Sé, com uma nova Secretaria para a Economia.
Após a viagem à Terra Santa, reuniu no Vaticano os presidentes de Israel e da Palestina para uma invocação pela paz, na qual participou também o patriarca ecuménico de Constantinopla (Igreja Ortodoxa), Bartolomeu I, um interlocutor privilegiado do papa. Ainda este ano, Francisco visitou a sede da FAO em Roma e promoveu a assinatura de uma declaração conjunta inter-religiosa contra a escravatura.
O papa convocou ainda um Ano da Vida Consagrada, por ocasião do quinquagésimo aniversário da constituição dogmática sobre a Igreja ‘Lumen gentium’, do Concílio Vaticano II, que no capítulo VI trata dos religiosos, e do decreto ‘Perfectae caritatis’ sobre a renovação da vida religiosa.
Fonte:CIDADE DO VATICANO

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

CNBB - Comissão disponibiliza materiais para a CF 2015



O lançamento oficial da Campanha da Fraternidade 2015 será no dia 18 de fevereiro, às 10h30, na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Brasília. Para auxiliar na vivência e divulgação da Campanha nas dioceses, paróquias e comunidades, a Comissão Executiva da CF 2015 disponibiliza materiais para serem baixados, entre eles o cartaz, textos formativos, hino e partitura, oração e apresentações. Confira em: http://www.cnbb.org.br/publicacoes-2/documentos-para-downloads-2/cat_view/241-cf-campanha-da-fraternidade/461-cf-2014 .Com o tema “Fraternidade: Igreja e Sociedade” e lema “Eu vim para servir” (cf. Mc 10, 45), a  Campanha da Fraternidade (CF) 2015 buscará recordar a vocação e missão de todo o cristão e das comunidades de fé, a partir do diálogo e colaboração entre Igreja e Sociedade, propostos pelo Concílio Ecumênico Vaticano II. O texto-base utilizado para auxiliar nas atividades da CF 2015 está disponível nas Edições CNBB. O documento reflete sobre a dimensão da vida em sociedade que se baseia na convivência coletiva, com leis e normas de condutas, organizada por critérios e, principalmente, com entidades que “cuidam do bem-estar daqueles que convivem”.

Espaço do Diácono



 Diácono Dirceu fala-nos de uma "alegria interior que deve ser exteriorizada através de gestos simples de generosidade"

É precisamente este o ponto em que o Papa Francisco se encontra, uma vez que, na conclusão da Gaudete in Domino se lê: “Irmãos e filhos caríssimos: não será normal que a alegria habite dentro de nós, quando os nossos corações contemplam e descobrem de novo, na fé, os seus motivos fundamentais? E estes motivos são simples, aliás: tanto amou Deus o mundo, que lhe deu o seu Filho único. Pelo seu Espírito, a sua presença não cessa de envolver-nos na sua ternura e de nos impregnar com a sua vida; e nós caminhamos para a transfiguração ditosa das nossas existências, seguindo rumo à ressurreição de Jesus. Sim, seria muito estranho que esta Boa-Nova que provoca os aleluias da Igreja não nos deixasse com o semblante de pessoas salvas!”. Contudo, apesar dos não poucos e nem pequenos desafios, somos convidados a olharmos maravilhados, desde a nossa infância até a velhice, para tudo o que Deus fez e sentirmos a serena alegria que só Ele pode nos dar como um dom do Espírito Santo, conforme se lê em Gálatas 5,22.  O Papa Paulo VI acrescenta que “o homem só poderá experimentar a verdadeira alegria espiritual quando se afastar do pecado e viver na presença de Deus. A carne e o sangue são, sem dúvida, incapazes disso (cf. Mt 16,17). Mas a revelação pode abrir esta perspectiva e a graça pode operar esta conversão” no coração humano, às vezes petrificado pelo pecado, por meio do sacramento da Penitência. Recorda-nos também nessa exortação o Apóstolo das gentes: “Estou cheio de consolação, estou inundado de alegria no meio de todas as tribulações” (7,3-4). Elas mostram que, mesmo entre as intempéries da vida, o verdadeiro discípulo de Cristo jamais perde a esperança, pois está inundado da alegria do Espírito Santo.

Um olhar sobre a Liturgia e seus sinais

Coroa do Advento:
Todos os grandes eventos exigem uma preparação. Por isso, a Igreja instituiu, na Liturgia, um período que antecede o Natal: o Advento. Mas, ao longo da história da Igreja, tomou diversas formas.


A terceira vela acesa nos convida à alegria e ao júbilo pela aproximação da chegada de Jesus. A cor litúrgica de hoje, o rosa, indica justamente o Domingo da Alegria, ou o Domingo Gaudette, onde transborda nosso coração de alegria pela proximidade da chegada do Senhor. Esta vela lembra ainda a alegria celebrada pelo rei Davi e sua promessa que, agora, está se cumprindo em Maria.

Com a alegria de quem se sente perdoado, o terceiro domingo se inicia com a seguinte proclamação: “Alegrai-vos sempre no Senhor. De novo eu vos digo: alegrai-vos! O Senhor está perto”. É o domingo Gaudete. Estando já próxima a chegada do Homem-Deus, a Igreja pede que “a bondade do Senhor seja conhecida de todos os homens”. Os paramentos são cor-de-rosa.

A comunhão eucarística começa na mesa



A questão do acesso à Comunhão como Ceia do Senhor toca um problema maior.


O Sínodo dos bispos de outubro de 2014 viu os bispos norte-americanos desempenhando um papel importante em defesa de uma interpretação muito tradicional da família... tradicional.
Especialmente sobre a linguagem acerca dos divorciados em segunda união, a coabitação pré-matrimonial e a acolhida dos homossexuais na Igreja, os bispos dos EUA no Sínodo fecharam a porta para qualquer desenvolvimento, seja teológico, seja pastoral.
Isso é perfeitamente consequente com a posição que a família tem na cultura e na história norte-americana: há apenas poucas gerações, havia um país imenso a se conquistar, e a família tinha adquirido um papel fundamental na epopeia dos pioneiros (que tinham família, próxima ou distante, mesmo que os cowboys dos filmes quase sempre sejam românticos solitários).
Mas há um paradoxo: essa ênfase das Igrejas norte-americanas (não só da católica) na família revela um fato elementar, ou seja, a crise vertical nos EUA de uma certa cultura da família que não depende do crescimento das uniões homossexuais e da coabitação pré-matrimonial.
Quem ensina nas escolas norte-americanas de todos os níveis sabe muito bem que já é difícil encontrar estudantes que tenham o hábito de comer todos juntos, ao menos à noite, em torno de uma mesa, compartilhando um mesmo alimento preparado para a ocasião.
Em muitas famílias norte-americanas, não se cozinha mais, ou se come como em um bufê no restaurante, aquecendo no micro-ondas coisas já prontas, cada um aquilo que lhe parece e à hora que lhe parece.
Nas faculdades, não é raro que haja cursos para ensinar os estudantes a estarem à mesa juntos. A questão do acesso à Comunhão como Ceia do Senhor nos EUA toca um problema maior, ou seja, aquele que afetou a própria ideia de "comunhão à mesa".
Revista Jesus, dezembro de 2014.