Instituição Religiosa-Igreja Católica-Paróquia São José Operário Tel.4582-5091- Retiro Jundiaí

Rezemos pelo Papa Francisco

Rezemos pelo Papa Francisco

SETEMBRO: MÊS DA BIBLIA

SETEMBRO: MÊS DA BIBLIA
"Deus se comunica pela Palavra"

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

NOSSA SENHORA DAS DORES (15 de Setembro)

Estava sua mãe junto à cruz

“Mãe das Dores, alegrai-vos, que depois de tantas lutas, estais na glória junto ao Filho e sois Rainha do universo.

O martírio da Virgem é mencionado tanto na profecia de Simeão quanto no relato da
paixão do Senhor. Este foi posto, diz o santo ancião sobre o menino, como um sinal de
contradição, e a Maria: e uma espada traspassará tua alma (cf. Lc 2,34-35).
Talvez haja quem pergunte: “Mas não sabia ela de antemão que iria ele morrer?” Sem dúvida alguma. “E não esperava que logo ressuscitaria?” Com toda a confiança. “E mesmo assim sofreu com o Crucificado?” Com toda a veemência. Aliás, tu quem és ou donde tua sabedoria, para te admirares mais de Maria que compadecia, do que do Filho de Maria a padecer? Ele pôde morrer no corpo; não podia ela morrer juntamente no coração? É obra da caridade: ninguém a teve maior! Obra de caridade também isto: depois dela nunca houve igual.

domingo, 14 de setembro de 2014

A dinâmica do Mês da Bíblia

É sem dúvida uma grande preocupação da Pascom a divulgação dos meses temáticos, visando despertar nas equipes de celebrações um empenho maior em exercitar a criatividade buscando viver com maior intensidade este tempo nos encontros e celebrações.Desde 1971 a Igreja Católica dedica o mês de setembro à Bíblia. Setembro foi escolhido pelos Bispos do Brasil como o mês da Bíblia, em razão da festa de São Jerônimo, celebrada no dia 30 deste mês. São Jerônimo, que viveu entre 340 e 420, foi o secretário do Papa Dâmaso e por ele encarregado de revisar a tradução latina da Sagrada Escritura. Essa versão latina feita por São Jerônimo recebeu o nome de Vulgata, que, em latim, significa popular e o seu trabalho é referência nas traduções da Bíblia até os nossos dias. O tema proposto para o Mês da Bíblia de 2014 é “Discípulos missionários a partir do Evangelho de Mateus”, partindo das prioridades do Projeto de Evangelização “O Brasil na Missão Continental” e dos aspectos fundamentais do processo de discipulado: o encontro com Jesus Cristo, a conversão, o seguimento, a comunhão fraterna e a missão. O lema indicado pela Comissão Bíblico-Catequético da CNBB é “Ide, fazei discípulos e ensinai” (cf. Mt 28, 19-20).

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Leitura orante: Setembro mês da Biblia

 É pela bondade do Senhor que não fomos destruídos, não se esgotou a sua misericórdia; cada manhã ela se renova; grande é tua fidelidade, Senhor. Diz minh’alma: “O Senhor é minha herança, por isso, espero por ele”.O Senhor é bondoso para quem nele confia,para a alma que o procura. É bom aguardar em silência salvação que vem de Deus.É bom para o homem sofrer o jugo na sua mocidade. Quando isto lhe é imposto,queda-se em solidão e em silêncio.Deita-se com o rosto no chão, implorando a esperança. Oferece o rosto a quem o espanca, sacia-se de opróbrios. É certo que o Senhor a ninguém repele para sempre. Se ele aflige, também se compadece com infinitos gestos de misericórdia. Humilhar e afligir os homens não procede do seu coração.                                              ( Do Livro das Lamentações 3,22-33)

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Exaltação da Santa Cruz: "O desafio da cruz e seu significado"

Capela Santa Cruz-Paróquia São José Operário-Jundiaí
A cruz, formada por uma haste vertical e outra horizontal, é o maior símbolo da vida cristã. No tempo do Império Romano era usada como lugar de execução de quem era condenado à morte. Ela aterrorizava as pessoas, porque o condenado ficava agonizando até morrer, e o cadáver ali apodrecia, sem direito de um sepultamento digno. Era humilhação, tortura e considerada uma maldição.
É difícil compreender o fato de um instrumento de tortura, como esse, tornar-se meio para o seguimento de Jesus Cristo. Um símbolo de maldição que se transforma em caminho de salvação. Isso revela a intensidade com que Deus amou o mundo, descendo no mais profundo da realidade humana. Com isto o sofrimento passa a ser expressão visível de amor até às últimas consequências.
Quem ama de verdade, como o fez Cristo, é capaz de superar situações extremas de sofrimento. Somos iguais nos prazeres e nos sofrimentos, na perfeição e nas imperfeiçoes, uns mais e outros menos. Tudo isso fazendo parte do mistério da vida humana, que deve ser encarado com discernimento, equilíbrio, coragem e vontade de vencer. O importante é não perder o rumo da história.
Duas coisas devem pesar na consciência de todos nós: uma é a prática do amor, da doação, da partilha e de atos com responsabilidade; outra, como ofensa ao Criador, é a prática do ódio, da vingança e do desrespeito. A via da cruz pode ser um grande caminho de libertação, porque supõe a interiorização do amor.
Não é fácil amar a quem nos ofende, como não deve ter sido fácil Cristo, na cruz, dizer aos carrascos: “Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem” (Lc 23,34). Portanto, a cruz é um desafio, pois ela exige despojamento do poder sem objetivos altruístas e conquista do bem pelo caminho do bem.
Para muitos cidadãos honestos, uma simples eleição pode ser momento de cruz, principalmente por não conseguir visualizar um candidato que seja confiável. Seu voto pode ser causador de sofrimentos e de muitas cruzes durante mais quatro anos.
CNBB, 09-09-2014.

*Dom Paulo Mendes Peixoto é arcebispo de Uberaba (MG).

domingo, 7 de setembro de 2014

07 de Setembro: "Acima de tudo, o amor pelo Brasil"

O amor à Pátria e seu significado

"Façamos frente ao senso comum de que “política é coisa suja”, e participemos ativamente das eleições."

Com o olhar voltado para as eleições de outubro, comemoramos a Semana da Pátria, que tem seu ponto alto no domingo, dia 7 de setembro. A bandeira do Brasil está tremulando em todos os prédios públicos e o Hino Nacional está sendo cantado nas escolas e praças das cidades. No final de semana, os desfiles cívicos tomarão conta das ruas e avenidas. Tudo isto para reforçar o sentimento de amor à Pátria Brasil. 

Amar a Pátria significa nutrir afeto para com o país onde nascemos e vivemos, com o desejo de que tudo de bom possa acontecer com este país. Implica no compromisso de trabalhar e lutar para defender os interesses do povo e o bem estar de todos os cidadãos. Em combater a exploração e zelar para que o governo seja justo e honesto, denunciando o desvio do dinheiro público e aqueles que habitualmente agem contra a lei. Mais do que denunciar, o amor à Pátria, conforme nota da CNBB, implica em “contribuir na construção de outra prática política, firmada nos valores éticos de promoção e defesa da vida”, com atitudes construtivas. Uma pessoa sem pátria é uma pessoa sem chão e sem lar. É o que está acontecendo com milhares de pessoas forçadas a abandonarem seus países por causa da violência no Oriente Médio e na Ásia ou pela falta de perspectivas de vida em vários países da África e da América Latina. Estas pessoas ficam ansiosamente esperando que um país as acolha, tornando-se assim filhos adotivos de uma nova Pátria.


quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Grito dos Excluídos 2014

“Ocupar Ruas e Praças por Liberdade e Direitos”

A Diocese de Jundiaí realizará no dia 07 de setembro às 15horas, na Catedral Nossa Senhora do Desterro, o Grito dos Excluídos, iniciando com a Celebração Eucarística presidida por Dom Vicente Costa, Bispo Diocesano, e as manifestações na Praça Governador Pedro de Toledo em frente à Catedral.
O Grito dos Excluídos 2014 vai retomar as reflexões sobre a Campanha da Fraternidade, “É para Liberdade que Cristo nos Libertou” e, do processo da 5ª Semana Social Brasileira que está refletindo a temática “Estado para que e para quem!”.

Convidamos a todos, em especial aos agentes de Pastorais Sociais, Setor Juventude, Associações, Entidades Beneficentes, Movimentos Eclesiais, Populares e de Classe, para juntos com as pessoas que vivem em situação de exclusão, participemos deste momento de denúncia e principalmente de propostas de um modelo de sociedade justa e solidária.
Fonte: http://www.dj.org.br/grito-dos-excluidos-2014/

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Exaltação da Santa Cruz

"Nós vos adoramos e vos bendizemos Senhor, Porque pela vossa Cruz remistes o mundo."


A Igreja privilegia a memória da exaltação da Santa Cruz única e exclusivamente porque na Cruz ela reconhece e venera o sinal e o instrumento de nossa Salvação. É com o desejo de obter o dom da Salvação e reconhecendo o grande amor divino, que torna esta Liturgia um convite especial para contemplar a Cruz redentora e salvadora de Jesus Cristo. É uma celebração com forte caráter contemplativo, na qual a Cruz de Jesus é apresentada como local da Salvação divina, como momento, no qual Deus revela seu total amor por nós e para nos salvar.  

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

SETEMBRO: MÊS DA BÍBLIA 2014

Discípulos Missionários a partir do Evangelho de Mateus é o tema proposto para o Mês da Bíblia de 2014, partindo das prioridades do Projeto de Evangelização “O Brasil na missão continental” e os aspectos fundamentais do processo de discipulado: o encontro com Jesus Cristo, a conversão, o seguimento, a comunhão fraterna e a missão.
    O lema é “Ide, fazei discípulos e ensinai” (cf. Mt 28,19-20). Ele foi indicado pela Comissão Bíblico Catequética, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), juntamente com as Instituições Bíblicas, entre elas o Serviço de Animação Bíblica.

 O subsídio está dividido em quatro encontros e uma celebração final, com a finalidade de estudar os textos em grupos (círculos bíblicos), nas pastorais ou por pessoas interessadas em acompanhar as atividades do mês de setembro, escutando e aprofundando a Palavra de Deus.
     O primeiro encontro reflete sobre o ser discípulos e quais são as exigências apresentadas por Jesus para o discipulado, por meio do texto de Mt 18,1-6.19-20. 
   No segundo encontro, aprofundaremos sobre as Bem-aventuranças (Mt 5,1-11), no qual perceberemos a relação entre Jesus Mestre e Moisés e o que significa ter atitudes sintonizadas com o Reinado de Deus.  
    Em nosso terceiro encontro, trataremos sobre as relações fraternas, rezando o texto de Mt 18,1-22, em que nos apresenta como humanizar nossas relações, por meio da humildade, do acolhimento e do perdão. 
   O último encontro abordará sobre Mt 25,31-46, que faz parte do chamado “Discurso Escatológico”, nos mostrando a necessidade de sermos vigilantes e atentos para perceber no dia-a-dia como realizar a vontade de Deus, sobretudo com os mais necessitados. 
   Na celebração final faremos uma entrevista com algumas personagens presentes no texto de Mateus, sintetizando assim, toda a caminhada percorrida no estudo do Evangelho segundo Mateus, na ótica do discipulado-missionário. Ao final da celebração, com o gesto da unção, somos convidados a tomar consciência do nosso ser batizado e da nossa missão na sociedade e no mundo.

domingo, 31 de agosto de 2014

Campanha Diocesana do Dízimo 2014

A Pastoral do dízimo tem como objetivo incentivar os fiéis a partilhar o fruto de seu trabalho, é através do dízimo que provem todo o sustento para manter as diversas atividades de evangelização. Entre as atividades dos membros da Pastoral do Dízimo está: incentivar aos fiéis ao pagamento do dízimo, promover o relacionamento da paróquia com o dizimistas, organizar as missas do Dízimo, rezar e estar atento às necessidades dos irmãos dizimistas. Diante a proposta para este ano em comunhão com nossa Diocese de Jundiaí estamos empenhados em colaborar com Campanha Diocesana do Dízimo de 2014.
O primeiro passo é a dar um nome ao nosso mascote que ainda não possui um nome. Queremos contar com ajuda e criatividade das crianças da catequese e demais crianças. Todas as informações foram dadas nas celebrações deste final de semana

Ajude-nos a encontrar um nome para o nosso mascote!

Plebiscito Constituinte mobiliza comunidades neste final de semana


Queremos que essa proposta se espalhe por todo o Brasil, e desde Agosto de 2013 diversos Movimentos Sociais, Sindicais e Organizações Políticas se juntaram para começar este trabalho.
Com muita alegria e disposição começamos a nos organizar para que cada vez mais pessoas participem desse processo de debates e de organização  que culminará na votação do Plebiscito que terá uma única pergunta: Você é a favor de uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político?
A votação ocorrerá na Semana da Pátria (1 a 7 de Setembro) de 2014, e qualquer pessoa ou grupo pode organizar um local de votação com uma urna!
Ainda sim, o plebiscito está em construção desde já e prevê muitas atividades de organização, formação política e lutas até chegar a semana da Pátria.
O que é um Plebiscito Popular?

 Um Plebiscito é uma consulta na qual os cidadãos e cidadãs votam para aprovar ou não uma questão. De acordo com as leis brasileiras somente o Congresso
Nacional pode convocar um Plebiscito.  Apesar disso, desde o ano 2000, os Movimentos Sociais brasileiros começaram a organizar Plebiscitos Populares sobre temas diversos, em que qualquer pessoa, independente do sexo, da idade ou da religião, pode trabalhar para que ele seja realizado, organizando grupos em seus bairros, escolas, universidades, igrejas, sindicatos, aonde quer que seja, para dialogar com a população sobre um determinado tema e coletar votos.  O Plebiscito Popular permite que milhões de brasileiros expressem a sua vontade política e pressionem os poderes públicos a seguir a vontade da maioria do povo.

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

O que os jovens pensam sobre a política?

Pesquisa Data Popular revela que a juventude brasileira é mais informada que seus pais e tem peso decisivo na eleição

A pesquisa não questiona em quem eles votariam. Mas mais de 50% deles se encontram entre os eleitores indecisos ou que pretendem anular o voto. O discurso, porém, carrega um viés de oposição. Como na maioria da população brasileira, o desejo de mudança está impregnado em 63% deles, que acreditam que o Brasil não está no rumo certo. Apesar disso, 72% desses brasileiros que têm entre 16 e 33 anos consideram ter melhorado de vida. Mas a juventude indica querer mais. “Eles querem serviços públicos de mais qualidade, maior conectividade, acessos livres a banda larga e a tecnologia de ponta. E não abrem mão da manutenção do poder de compra”, afirma o autor do estudo, o publicitário Renato Meirelles, presidente do Data Popular.
O levantamento embute outros recados importantes à classe política. Ao mesmo tempo que 92% acreditam na própria capacidade de mudar o mundo, 70% botam fé de que o voto possa transformar o País e 80% reconhecem o papel determinante da política no cotidiano brasileiro, fatia expressiva dos jovens do Brasil (59%) acredita que o País estaria melhor se não houvesse partido político. Para os jovens, as agremiações partidárias e os governantes não falam a linguagem deles. “Os políticos são analógicos e a juventude digital”, atesta Renato Meirelles. Observador atento do cenário político e um dos maiores especialistas sobre o comportamento da juventude brasileira, Meirelles foi quem criou o verbete “Geração D” – de digital, numa alusão à juventude conectada.

http://www.istoe.com.br

Uma reflexão acerca das eleições 2014.(por:Elisa Lucinda)

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Dom Gil fala sobre o que significa seguir Cristo

"Eis uma grande lição a ser aprendida pelo mundo de hoje, tão cheio de radicalismos intolerantes."
*Dom Gil Antônio Moreira é arcebispo de Juiz de Fora (MG).
Fico pensando: entre nós, quantos sacerdotes santos, quantas jovens e senhoras de nossas paróquias e comunidades, quantos leigos e leigas já deram resposta altamente positiva a esse segredo de amor e de confiança do Senhor! Muitos já vivem hoje na Jerusalém celeste e intercedem, imersos em Cristo, por nós que caminhamos neste mundo, ávidos por acertar a estrada, dispostos a servir a Deus da forma melhor que alcançarmos.
Porém, o que significa seguir a Cristo?
Tal indagação pode ser respondida através das Sagradas Escrituras, como por exemplo, o trecho de São Lucas, em seu capítulo nove, quando narra o chamado dos primeiros discípulos e dá-lhes instruções práticas para a "sequela Christi". Deduz-se, em primeiro lugar, que Jesus, embora pudesse salvar o mundo sem a participação dos seres humanos, não quis fazê-lo desta forma, mas desejou a sua participação efetiva.

sábado, 23 de agosto de 2014

23/08 – Santa Rosa de Lima

Em Jundiaí, a Vila Maringá está em festa neste dia, pois celebram a sua Padroeira. A paróquia tem como Pároco: Pe. Márcio Felipe de Souza Alves e o Vigário Paroquial: Pe. José Paulo de Almeida

Para todos nós, hoje é dia de grande alegria, pois podemos celebrar a memória da primeira santa da América do Sul, Padroeira do Peru, das Ilhas Filipinas e de toda a América Latina. Santa Rosa nasceu em Lima (Peru) em 1586; filha de pais espanhóis, chamava-se Isabel Flores, até ser apelidada de Rosa por uma empregada índia que a admirava, dizendo-lhe: “Você é bonita como uma rosa!”.
Rosa bem sabia dos elogios que a envaideciam, por isso buscava ser cada vez mais penitente e obedecer em tudo aos pais, desta forma, crescia na humildade e na intimidade com o amado Jesus. Quando o pai perdeu toda a fortuna, Rosa não se perturbou ao ter que trabalhar de doméstica, pois tinha esta certeza: “Se os homens soubessem o que é viver em graça, não se assustariam com nenhum sofrimento e padeceriam de bom grado qualquer pena, porque a graça é fruto da paciência”.
A mudança oficial do nome de Isabel para Rosa ocorreu quando ela tomou o hábito da Ordem Terceira Dominicana, da mesma família de sua santa e modelo de devoção: Santa Catarina de Sena e, a partir desta consagração, passou a chamar-se Rosa de Santa Maria. Devido à ausência de convento no local em que vivia, Santa Rosa de Lima renunciou às inúmeras propostas de casamento e de vida fácil: “O prazer e a felicidade de que o mundo pode me oferecer são simplesmente uma sombra em comparação ao que sinto”.
Começou a viver a vida religiosa no fundo do quintal dos pais e, assim, na oração, penitência, caridade para com todos, principalmente índios e negros, Santa Rosa de Lima cresceu na união com Cristo, tanto quanto no sofrimento, por isso, tempos antes de morrer, aos 31 anos (1617), exclamou: “Senhor, fazei-me sofrer, contanto que aumenteis meu amor para convosco”.
Foi canonizada a 12 de abril de 1671 pelo Papa Clemente X.

Santa Rosa de Lima, rogai por nós!

PARÓQUIA SÃO JOSÉ OPERÁRIO - Ministros Extraordinários Da Sagrada Comunhão:


Nossa saudação especial a você! É sem dúvida uma grande preocupação a formação espiritual e vida de oração da pessoa do ministro (a).
Estamos fazendo reuniões com os ministros da Eucaristia, apenas da Matriz, convencionamos que será toda a 3ª quinta-feira do mês, próxima será 18/09/2014. Priorize e participe!